ONF Brasil participa da primeira oficina do programa de aceleração para negócios com impactos positivos (Foto: IDESAM)

ONF Brasil participa da primeira oficina do programa de aceleração para negócios com impactos positivos (Foto: IDESAM)

 

De 17 a 21 de fevereiro, 15 empreendimentos do ecossistema de negócios de impacto na Amazônia selecionados pela Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) se reuniram em Manaus para a primeira oficina do Programa de Aceleração da PPA, implementada pelo Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam). Inicialmente 200 iniciativas que propõem soluções inovadoras para o desenvolvimento sustentável, conservação da biodiversidade, florestas e dos recursos naturais da Amazônia se inscreveram no edital da PPA. Apenas 15 foram selecionadas para o programa de aceleração e seis receberam recursos financeiros de investidores de impacto em 1ª rodada de investimentos já no início da aceleração. Na ocasião, A ONF Brasil participou do exercício de apresentação de pitch de seu negócio, a gestão da Fazenda São Nicolau, em 3 minutos. Até o final do ano, a ONF Brasil poderá concorrer em uma segunda rodada de investimentos.

A aceleração visa alavancar o desenvolvimento do modelo de negócio através de mentorias e assessorias sobre os aspectos técnicos, marketing, jurídicos e contábeis, por exemplo. O objetivo da primeira oficina, facilitada pelos parceiros Sense-Lab e Move Social, foi promover o desenho do modelo de negócios dos projetos. A metodologia empregada para a definição da teoria da mudança de cada iniciativa foi a do Modelo C, idealizada pelos parceiros citados. O exercício permite integrar os resultados econômicos do empreendimento com seus impactos ambientais e sua capacidade de transformação social.

Empreendimentos de impacto positivo traçam seus modelos de negócio e indicadores de impacto (Foto: IDESAM)

Empreendimentos de impacto positivo traçam seus modelos de negócio e indicadores de impacto (Foto: IDESAM)

 

Para a ONF Brasil, o grande desafio durante o desenho do seu modelo de negócio de impacto foi manejar a complexidade de sua oferta multiprodutos, diferente dos outros empreendimentos participantes. Na Fazenda São Nicolau, há atividades inter-relacionadas de ecoturismo, de restauração, de conservação, de manejo florestal madeireiro e não madeireiro, de silvicultura, de sistemas agroflorestais e silvipastoris, do Programa de Educação Ambiental e do apoio à pesquisa na Amazônia Meridional. A variedade dos produtos também foi traduzida no momento de definir os indicadores de impacto para o monitoramento do negócio. Afinal, essa multiplicidade também significa uma atuação em diversos setores: produtivos, sociais, ambientais, econômicos e científicos.

O resultado do workshop foi o desenho do Modelo C, de uma matriz de indicadores e de um plano de ação para cada negócio. Esse conteúdo, a ser compartilhado com as equipes de cada empreendimento, deve orientar as ações de planejamento, comunicação, avaliação, monitoramento, gestão e execução das atividades.

programação dos cinco dias de oficina abrangeu orientações, feedbacks, rodas de discussão e até um momento para pensar o autocuidado do empreendedor. Esse primeiro momento de aceleração ocorreu em total imersão em um hotel na selva, sem conexão com a internet para favorecer o entrosamento dos participantes e a concentração nas atividades. Além dos objetivos de construção de uma visão e narrativa do impacto positivo dos empreendimentos, o refinamento do modelo de negócio e a definição de indicadores, o encontro permitiu a identificação dos desafios, a valorização do olhar pessoal do empreendedor e a construção de uma rede para trocas. Outras oficinas complementares do programa de aceleração serão organizadas no decorrer do ano.

Essa é a segunda turma de aceleração do PPA. Em 2019, foram 81 inscritos e 15 selecionados. Atualmente os primeiros participantes mantém a cooperação e o networking a partir da rede de empreendedores de impacto na Amazônia. Esses negócios já beneficiam 110 comunidades com 251 empregos diretos.

Segundo as palavras de Mariano Cenamo, diretor de novos negócios do Idesam, para o site do PPA, a nova turma selecionada para a aceleração possui um potencial transformador. “Estamos extremamente empolgados com essa nova turma. São negócios e empreendedores que têm potencial para transformar a economia da região, cada um na sua área, em sua especialidade”, declarou.

Acesse aqui as imagens do evento.