bag-1245954_1280

Foto: Tim Gouw/ Pixabay/ Domínio Público

A ONF Brasil oferece vaga de Assistente Administrativo(a) baseado(a) no escritório de Cuiabá.

A função principal do(a) Assistente Administrativo na ONFB é a assessoria à Direção na área de gestão.
No cotidiano o(a) Assistente Administrativo tem relação com os funcionários da empresa,
fornecedores e clientes, pesquisadores e estagiários envolvidos no projeto. A maioria dos
financiadores hoje são franceses.

Condições
– Regime de contratação: CLT, 44 horas semanais. Tempo indeterminado. + Plano de saúde empresarial
+ seguro de vida empresarial. Remuneração conforme experiência a negociar no processo de seleção.
– Disponibilidade imediata (início dos trabalhos no máximo 01/10).

Acesse aqui o edital completo.

Até 22 de novembro, iniciativas para melhorar o estado de conservação das espécies da fauna e da flora podem ser inscritas em sete categorias.

 

logo-premio-nacional-da-biodiversidade

 

As inscrições para o Prêmio Nacional da Biodiversidade (PNB) foram prorrogadas até 22 de novembro. O resultado será conhecido em 22 de maio de 2017, em Brasília, durante as comemorações pelo Dia Internacional da Biodiversidade. Os finalistas recebem certificado de participação e os vencedores, um troféu.

Promovido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Jardim Botânico do Rio de Janeiro, o PNB tem inscrições gratuitas, via Internet.

O objetivo é reconhecer o mérito de iniciativas, atividades e projetos que se destacam por buscar a melhoria do estado de conservação das espécies da biodiversidade brasileira, incluindo a manutenção ou a mudança para uma categoria de menor risco de extinção, contribuindo para a implantação das Metas Nacionais de Biodiversidade.

Também são elegíveis experiências que comprovem o alcance de ao menos um dos critérios: redução do declínio ou aumento do tamanho da população; redução da fragmentação ou aumento da conectividade entre as subpopulações; ampliação da área de distribuição da espécie, mesmo que seja por identificação de novas áreas ou; redução de ameaças às populações.

“A prorrogação do prazo de inscrição possibilita ampliar a participação e alcançar outros projetos que possam concorrer ao Prêmio”, explica Marília Marini, diretora-adjunta do Departamento de Conservação da Biodiversidade, do MMA.

Categorias

O PNB disponibiliza sete categorias: sociedade civil; empresas; iniciativas comunitárias; academia; órgãos públicos; imprensa e MMA. O vencedor em cada uma delas será escolhido entre três finalistas, que concorrem também ao prêmio especial Júri Popular, definido por meio de votação eletrônica.

Os critérios avaliados pela comissão julgadora serão a efetividade quanto ao estado de conservação da espécie, impactos ambiental, social e, inovação. Na categoria Imprensa, também será levado em conta o alcance da matéria/reportagem.

Acesse o edital

Fonte: Waleska Barbosa – Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)

O desmatamento na Amazônia caiu 78% entre 2015 e 2004, ano de início do plano de prevenção (Foto: Divulgação/EBC)

O desmatamento na Amazônia caiu 78% entre 2015 e 2004, ano de início do plano de prevenção (Foto: Divulgação/EBC)

Projetos no setor florestal receberam financiamento de US$ 1 bilhão do Fundo Amazônia. Atualmente, 85 iniciativas são apoiadas pelo fundo, formado por doações de parceiros importantes do País, como os governos da Noruega e da Alemanha.

O Fundo Amazônia capta doações para investimentos não-reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, e de promoção da conservação e do uso sustentável da Amazônia Legal. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é responsável pela gestão.

Unidades de conservação, povos indígenas e medidas de monitoramento estão entre as primeiras áreas de atuação desses programas. Também há ações voltadas para atividades de produção sustentável e para a realização do Cadastro Ambiental Rural (CAR).

A importância dos projetos apoiados foi apresentada nesse sábado (12), no Espaço Brasil na 22ª Conferência das Partes (COP 22) sobre mudança do clima, que ocorre até a próxima semana em Marrakech (Marrocos). O local é uma iniciativa do governo federal com o objetivo de divulgar para o mundo as políticas brasileiras na área climática.

Cooperação

A integração brasileira com os demais países foi apontada como essencial para dar continuidade às políticas florestais. “A mudança do clima é um problema coletivo e, por isso, requer a cooperação internacional”, explicou a diretora de Políticas para o Combate ao Desmatamento do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Thelma Krug. Segundo ela, o Fundo Amazônia é um instrumento fundamental nesse contexto.

O empenho brasileiro na agenda tem garantido resultados expressivos: o desmatamento na Amazônia, por exemplo, caiu 78% entre 2004, ano de início do plano de prevenção e controle no bioma, e 2015. Thelma destacou, ainda, o papel importante que o Brasil tem desempenhado na Cooperação Sul Sul, em projetos como o de apoio à Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) no combate ao desmatamento.

COP 22

Até 18 de novembro, representantes de mais de 190 países estarão reunidos na COP 22 para discutir a regulamentação do Acordo de Paris. O pacto já está em vigor e, agora, é necessário definir detalhes sobre como o mundo terá de atuar para conter o aquecimento global.

O objetivo é estabelecer mudanças no processo produtivo para manter o aumento da temperatura média do planeta bem abaixo dos 2ºC em relação aos níveis pré-industriais, com esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5ºC.

Fonte: Portal Brasil (Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Fundo Amazônia)

Imagem: Termo de Referência do PETRA

Imagem: Termo de Referência do PETRA

 

O Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP) torna público, para o conhecimento de quem possa interessar e convida os interessados a participar do processo simplificado para contratação de consultoria estratégica no âmbito do Projeto PETRA com vistas a subsidiar a coordenação do projeto na implementação de um Observatório Territorial para o Noroeste de Mato Grosso.

Para maiores informações, acesse o arquivo abaixo:

Termo de Referência nº.54/PETRA/CPP/2016

Fonte: CPP

Poderão concorrer instituições públicas e privadas sem fins lucrativos, incluindo organizações sociais

 

Imagem: Edital da Finep

Imagem: Edital da Finep

 

Está aberta a  chamada pública de apoio à infraestrutura de projetos de pesquisa de Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) da Amazônia Legal. Serão até R$ 20 milhões em recursos não reembolsáveis provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – FNDCT/Ação Transversal. O edital foi lançado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) nesta terça -feira (13).

O Formulário de Apresentação de Projetos (FAP) eletrônico poderá ser enviado até o dia 10 de outubro. O edital visa melhorar a infraestrutura laboratorial e de equipamentos das instituições de pesquisa; fortalecer a capacidade de P&D das ICTs; capacitar pesquisadores de alto nível; e estimular a cooperação entre grupos de pesquisa da Amazônia Legal.

A chamada dará prioridade aos seguintes temas:

Poderão concorrer instituições públicas e privadas sem fins lucrativos, incluindo organizações sociais, localizadas na região de abrangência da Amazônia Legal (Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e a parte do Estado do Maranhão).

Fonte: Portal Brasil, com informações da Finep